BlogTecnologia e Educação

Metaverso: inimigo ou aliado da educação?

O Metaverso aproxima o mundo real do virtual, ainda mais com a nova geração tão imersiva no universo tecnológico. Jogos como Roblox e GTA RP, proporcionam experiências virtuais, nos quais deixam os jovens horas dentro do jogo. Com a nova realidade presente na vida da geração zennials – uma microgeração entre Millennials e a Geração Z -, e da geração Z, professores e escolas têm se adaptado ao Metaverso.

Até então, os jogos digitais eram vistos apenas como entretenimento. No entanto, o impacto dos games e a chegada do META na vida do estudante estimulou os centros educacionais a buscarem novas formas de ensinar. Consequentemente, alunos e alunas são passivos aos novos meios de aprendizagens, em comparação aos métodos tradicionais.

Embora o Metaverso ainda esteja em construção, nele é possível criar avatares, personalizá-los, conversar com pessoas, jogar, comprar itens virtuais, entre outras ações que têm cativado os jovens. Também pode-se criar infinitos ambientes que levam o estudante a lugares que, até então, não iria presencialmente. Já imaginou visitar a Era Mesozoica, cerca de 251 a 65 milhões de anos atrás, quando os dinossauros foram extintos? Ou retornar para qualquer evento histórico? Isso é possível devido às infinidades de ambientes que podem ser criados no Metaverso.

Aulas dentro do Metaverso

Em uma nova jornada de adaptação e linguagem, a escola de robótica SuperGeeks é o primeiro centro educacional a criar um espaço no metaverso e ministrar aulas, com a interação dos alunos por meio de seus avatares.

“Desde o início, a SuperGeeks sempre teve cursos com foco em desenvolvimento de games e tecnologias de Metaverso como realidade virtual, realidade aumentada, inteligência artificial, robótica para realidade aumentada e muito mais. Somos a única escola do segmento que criou uma ferramenta educativa no Metaverso, onde conseguimos fazer com que os alunos interajam entre si e com os instrutores e com ferramentas pedagógicas”, explica Cássia Ban, CEO da SuperGeeks.

Em entrevista à Sagres, o professor Tiago Gonzada também aponta a relevância do ambiente virtual para a educação, desde a infância até a adolescência, e a metodologia aplicada nas salas de aula.

Confira a entrevista na íntegra:

Como o metaverso tem impactado a educação?

Tecnologia nos remete etimologicamente ao “saber fazer” ou “saber como fazer”. É daí que a discussão sobre “Metaverso e educação” tem, ao meu ver, um fundamento que suportará toda a construção pedagógica que vivenciaremos nos próximos anos. Precisamos entender que a maneira como se ensina (metodologia e técnica) é tão importante quanto o que se ensina (conteúdo) e para quem se ensina (educando e suas realidades).

O metaverso abrange novas tecnologias, novas maneiras de ensinar e aprender e, para além disso, novas formas de, dialeticamente, trocarmos experiências e saberes durante a produção e construção do conhecimento dentro do âmbito escolar. A pandemia nos forçou a desconstruir paradigmas e a apropriar-nos de novas tecnologias para que o processo pedagógico pudesse, ainda que muitas vezes de formato improvisado, ter um sentido de continuidade, o que levou toda a comunidade escolar a se reinventar, tanto professores quanto alunos, não ficando de fora a estrutura escolar, nas redes privadas e públicas.

Creio que só teremos noção do impacto à medida em que nos distanciarmos no tempo desse período inicial de transição para propostas pedagógicas cada vez mais ligadas ao digital e suas derivações. Mas uma coisa é certa, o metaverso é uma dentre muitas ferramentas para as mais variadas propostas pedagógicas, não sendo uma finalidade em si, mas sim um meio, um instrumento para ampliar o engajamento para a produção conjunta do saber.

Quais são os benefícios e as desvantagens do metaverso na educação?

A tecnologia está para além do bem e do mal, uma vez que quem dá sentido a ela são as pessoas e suas ações e intenções, ainda mais dentro do espaço escolar. A tecnologia não é a solução para todos os desafios educacionais que vivemos, mas certamente é uma ferramenta que, se utilizada de forma adequada ao conteúdo e aos educandos, surtirá um efeito positivo, cumprindo seu propósito pedagógico.

O metaverso, em tese, traz a expectativa de ampliar possibilidades educacionais, como permitir um acesso a conhecimentos que demandariam um investimento maior de tempo e de recursos materiais, por exemplo, uma criança visitar um museu em um país distante. Acredito que, se utilizado de maneira coerente, podemos ter um aumento do engajamento dos alunos para as trocas de saberes dentro das aulas, permitindo que o docente crie propostas de utilização da ferramenta que supram demandas dos próprios alunos, permitindo certo protagonismo para os educandos dentro dos momentos de aprendizagem, tornando mais significativo para eles a utilização das tecnologias recentes.

Como toda nova tecnologia chega ao público em geral a um custo elevado, acredito que, em um primeiro momento, nem toda comunidade escolar terá à disposição toda estrutura material e conhecimento para trabalhar plenamente dentro do metaverso, o que diminuiria a velocidade de sua implementação mais abrangente. Por outro lado, existe a possibilidade de buscar capacitação e se preparar previamente para um contato mais intenso com as novas possibilidades educacionais dentro do metaverso.

A necessidade de uma reestruturação das práticas de aprendizagem deverá ser cada mais acentuada à medida que novas tecnologias surgem em intervalos menores de tempo, o que pode fragilizar a relação “real e virtual”, sendo o professor, um mediador dessa relação em direção à proposta pedagógica estabelecida previamente ao uso do metaverso.

Fique por dentro das inovações tecnológicas aqui no blog da https://www.itexperts.com.br/contato/

Originalmente publicado em Sagres Online

Mantenha-se atualizado

Leia também

BlogNoticias

Mistral Large (AI) – agora disponível no Amazon Bedrock

Quero saber mais
BlogNoticias

Tripé 5G, Edge Computing e Cloud exige mudança cultural na organização

Quero saber mais
BlogNoticiasTecnologia e Educação

Estatísticas da computação em nuvem na educação mundial

Quero saber mais
Abra o chat
Olá, gostaria de um atendimento?
Olá! No que podemos te ajudar?